9 de janeiro de 2015

Invencível

Essa imagem mostra a minha parte favorita no filme


Antes de dizer qualquer outra coisa, vamos fazer um acordo ok?

Vamos fingir que eu tenho escrito no meu blog todo esse tempo. Eu não vou mencionar que não escrevi uma palavra sequer aqui nos últimos 10 meses e você vai fingir que eu nunca parei de escrever :)

Não, não posso fazer isso kkk

Eu senti tanta falta de escrever aqui!! E senti tanta falta de ler seus comentários que estou com medo de acabar estragando essa resenha e escrevendo tudo errado.

Mas vou tentar ok?

Como alguns de vocês já devem ter visto no meu Facebook, semana passada eu fui ao cinema – àquele cinema legal onde a cadeira reclina e a pipoca é de graça (uhu!) – e eu assisti um filme que não foi muito divulgado mas que vale tanto a pena assistir! É um filme chamado Invencível.

Ele é sobre esse rapaz, Louis Zamperini, que quando criança, nunca acreditou que poderia ser algo na vida, até que seu irmão mais velho o encorajou a se juntar à equipe de atletismo da escola. Ele se deu uma chance e descobriu que manjava muito do negócio. Ele passou a ganhar todas as competições e embora ainda fosse muito jovem, conseguiu competir nas Olimpíadas.

Alguns anos depois, ele foi enviado para a guerra no Japão. E quando estava de partida, seu irmão disse algo – preste atenção nessa parte, pois é aqui que você começa a perceber que esse filme vai ser bom. Ele diz pra ele assim:

“Um momento de dor vale uma vida de glória.”

E aí seu trem parte para a guerra.

Em uma de suas missões no Japão, o avião em que estava, cai no mar – causando a morte de 8 de seus amigos. Somente ele e mais 2 sobrevivem. Um deles, assim que entra no barquinho salva-vidas, que seria a moradia deles pelos próximos 47 dias, começa a dizer, “Nós vamos morrer! Nós vamos todos morrer!!” Adivinha o que aconteceu com ele?

Louis e seu amigo sobreviveram 47 dias no mar, comendo peixe cru e bebendo água da chuva, mas um dia houve uma grande tempestade e vendo que a morte era provavelmente inevitável, ele faz uma oração e pede a Deus para tirá-lo dali e que se o tirasse, ele O serviria para sempre e faria o que Ele quisesse. Nesse momento você sabe que esse filme vai ser MUITO bom.

A tempestade passou e eles ainda estavam perdidos em alto-mar, sem nenhum sinal de resgate. Quando todas as esperanças pareciam perdidas, um navio vem e os resgata. Mas pensa numa coisa dessas... o navio era dos Japoneses, os inimigos que eles estavam lutando na guerra!

Ele e seu amigo são levados para um campo de prisioneiros de guerra e o que acontece dali pra frente é algo além do que eu posso descrever aqui. Você tem que assistir. Tudo o que eu posso dizer é que eu nunca me esquecerei das mensagens passadas nesse filme.

Se eu tivesse que resumir todas as mensagens em uma palavra, ela seria: Resistência.

As situações que Louis passou e a sua reação à elas são simplesmente.... Você vê que há um Poder Maior com ele. Você vê que Deus está com ele em todas elas, porque senão ele não poderia e não teria sobrevivido.

Esse filme nos ensina a importância de não deixar com que as ações das pessoas nos mudem; ou com que as pauladas que a vida nos dá, nos derrubem. Ele mostra o poder de não pagar com a mesma moeda mas segurar firme no que você sabe que é certo e permanecer firme nessa fé. Sim, esse filme é sobre fé e sobre crer até o fim.

Olha só, se esse fosse um filme normal, escrito por um escritor talentoso, já seria bom, mas a melhor coisa é que ele é uma história real. Uma história sobre resistência, resiliência, perdão, fé. É sobre uma a resposta de uma oração feita em um momento de desespero. É sobre como Deus nunca abandona aqueles que crêem e confiam Nele, ainda que por muito tempo pareça que Ele o tenha feito.

Eu não posso falar mais nada, exceto que eu amei esse filme e que se você não tinha planos de assistir Invencível, você realmente deveria.

Porém eu deixarei com você essas frases muito legais do filme, só pra dar um gostinho. Quando o Zamperini disse que queria matar seus inimigos, que ele nem se importava se morresse ao fazer isso; ele só queria matá-los, um companheiro prisioneiro de guerra diz assim pra ele:

“Não é assim que os vencemos. Nós os vencemos chegando vivos ao final da guerra. Essa é a nossa vingança.”


Quer dizer... simplesmente demais!

6 comentários:

  1. Uhuu! Que bom ver a sra de volta! rsrs

    Amei a resenha do filme! Fiquei com muita vontade de assistir!

    ResponderExcluir
  2. Saudades da sra Dona Rapha! Fiquei muito feliz que voltou! amei a resenha, com certeza irei assistir!

    ResponderExcluir
  3. Ola! Tanto tempo! :) Muito feliz do reencontro! :D
    Vamos assistir! Como nao, depois de ler este depoimento!!! :O Muito obrigada!

    ResponderExcluir
  4. Ainda bem que a sra voltou!!! \o/ Que saudades, obrigada pela resenha e que sra não desapareça de novo rs ^^

    ResponderExcluir
  5. Olá Dona Rafa, tudo bem?
    Gostaria de saber se a senhora tem algumas dicas de filmes evangélicos para assistirmos no Jejum de Daniel?
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Olá, ainda não assisti, mas pela sua resenha fiquei bastante curioso. Assim como quero assistir Corações de Ferro. Abraços!

    ResponderExcluir